Treme Terra

LONTRA

Lontra longicaudis

Valentina foi a primeira a chegar em dezembro de 2013 entregue pela Polícia Ambiental. Era uma bebezinha que foi encontrada debilitada por moradores em uma área rural. A equipe de veterinária precisou ensinar tudo para ela inclusive como se alimentar, pois este seria um aprendizado que ela teria com a mãe. Valentina foi crescendo sempre muito brincalhona, recebendo todos os cuidados, inclusive os protocolos de vacinação, até que pode ficar sozinha no ambiente preparado para ela aqui no Zoo. Em março de 2016 chegou a Aurora, também um filhote de lontra entregue pela Polícia Ambiental, que recebeu todos os cuidados para seu desenvolvimento. Por serem filhotes, as duas se habituaram ao convívio humano e não aprenderam hábitos de caça e defesa, que seriam fundamentais para seu retorno ao ambiente natural. Então após um período de aproximação, Valentina e Aurora hoje vivem juntas como duas grandes amigas. Recebem uma alimentação balanceada, atenção veterinária e dos tratadores e possuem um ambiente com plataformas, vegetação, tocas e uma grande piscina, onde elas adoram brincar.


Classe: Mamíferos

Ordem: Carnívora

Família: Mustelidae

Estado de Conservação: Quase ameaçada

Habitat: Rios, lagos e lagoas.

Ocorrência: Desde o México até o Uruguai. No Brasil é encontrada na Amazônia, Cerrado, Pantanal, Floresta Atlântica e Campos Sulinos

Características: Possui pelagem dividida em 2 camadas, uma externa e impermeável e outra mais interna usada para o isolamento térmico. A lontra adulta mede entre 55 e 120 cm de comprimento (incluindo a cauda) e pode pesar até 15 kg

Alimentação: Alimenta-se principalmente de peixes e crustáceos. Captura estes alimentos na água e traz à terra para consumir.

Reprodução: Os machos só convivem em grupos na época de acasalamento. A fêmea tem uma gestação de aproximadamente 2 meses, nascendo de 1 a 5 filhotes.

Curiosidades: A lontra tem um corpo hidrodinâmico preparado para nadar. Pode ficar até 6 minutos submersa e atingir a velocidade de 12 km/h. Além disso, quando ela mergulha os ouvidos e as fossas nasais são fechados hermeticamente e a curvatura do cristalino é ajustada, o que lhe permite a visualização de imagens focadas dentro e fora da água.

Expectativa de vida: 20 anos.